Resenha: Bela Maldade

Processed with VSCO with a2 preset

”Ela parecia tranquila, uma expressão de serenidade e calma na face fria, morta” Página 181

Depois de uma grande tragédia, Katherine Patterson decide se mudar, sair de sua cidade para ir morar com sua tia, procurando distância do que houve, e procurando esquecer. Ao chegar na escola, ela tenta se manter invisível, porém as coisas não ocorrem assim, ela conhece uma aluna, super popular e daquelas pessoas que te tratam bem até conseguirem o que querem, ao conhecer Alice, ela entra em seu mundo de cabeça, mergulhando e afundando.

Processed with VSCO with a2 preset

Processed with VSCO with a2 preset

”Está aterrorizada com a ideia de que eles estejam atrás de você, perseguindo-a, chegando mais perto a cada passo. Sua respiração áspera é alta a seus ouvidos, ensurdecedora, e você imagina que eles também possam ouvi-la, e por isso corre mais de pressa.” Página 180

Essa leitura foi sensacional, com uma reviravolta de deixar qualquer um de queixo caído, não se deixe enganar, a capa e a diagramação é bem simples, porém Bela Maldade é um daqueles livros que te surpreende a cada capítulo, o livro se divide em duas partes, o incio da amizade de Katherine com Alice e depois as consequências disso. Essa divisão foi essencial para a trama se desenvolver. 

”Acreditei nela, acreditei em tudo. Eu estava começando a amá-la.” Página 211

Processed with VSCO with a2 preset

Resenha: O Segredo dos Corpos

“Podemos até ficar indignados com as coisas horríveis que tais pessoas são capazes de fazer. No entanto, balançamos negativamente a cabeça e seguimos com nossas vidas.” Página 73

Assim como na resenha da obra Anatomia do Mal  essa resenha segue da mesma forma, na obra O Segredo dos Corpos temos relatos sobre a medicina forense, o que acontece em uma autópsia, como a medicina forense vem ajudado em anos de julgamentos, condenações e absolvições. Na obra temos a história de Dr. Vincent Di Maio que desde cedo foi apresentado a morte e aprendeu a não temer esse fato.


Dr. Vincent presenciou diversas formas de como um coração pode ficar após a morte, quarenta anos de profissão ele realizou mais de nove mil autópsias, e muitas vezes seu papel foi importante e definitivo em diversos casos de investigações criminais, alguns deles assim como em Anatomia do Mal são apresentados no decorrer dos capítulos, porém diferente da outra obra em O Segredo dos Corpos os casos são mais aprofundados, estar lendo essa obra é como estar estudando afundo cada caso e mais ainda como estar ali nas autópsias e no necrotério.

“Teria Martha sufocado aqueles bebês quando começaram a dar mostras que já não precisavam dela ou será que eram simplesmente os alvos mais fáceis? Seguramente não reagiram e não podiam testemunhar contra ela, e matá-los era tão simples que não deixava marcas.” Página 98

Esse livro me surpreendeu por diversos motivos, o primeiro deles foi que achei muito genial a forma que os temas foram abordados, por exemplo descrevendo o crime, o julgamento, os detalhes sobre os corpos e mais alguns detalhes e mais ainda em momento algum ficou maçante. O segundo deles é que apesar de estar sempre pesquisando casos criminais esses me surpreenderam e os detalhes também, e o terceiro não me surpreendeu mas vale sempre comentar que é a edição linda da darkside.

“A morte explicada de um lactente em uma família é SMSI (síndrome da morte súbita infantil). Duas mortes é motivo de suspeita. Três é homicídio.” Página 103

“Outra vezes, insistia em acompanhar os corpos dos bebês até o necrotério do hospital, cantando pra eles no caminho. Ao mesmo tempo, participava de uma espécie de “bolão da morte”, em que apostava qual seria a próxima criança a falecer.” Página 155

Resenha: A Química que há entre nós

”Então esta, com certeza, não é uma história de amor á primeira vista. Mas esta é uma história de amor. Bom. Mais ou menos.” Página 8

Nessa obra somos apresentados a Grace Town, uma garota com comportamentos estranhos, seu cabelo bagunçado e aparência mal cuidada, suas roupas largadas e ate seu cheiro é um tanto que estranho, seu suporte é uma bengala por causa de sua perna, uma garota cheia de mistérios, e do outro lado temos Henry Page que se encanta pelo mistério que é Grace Town, e no momento em que coloca os olhos nela sente que tudo vai mudar, porém Henry descobre que as vezes as pessoas são mais machucadas do que parecem e nem tudo é cena de filme, e outras coisas duram o para sempre que deveriam durar.

”Gosto de ter respostas prontas pra quando as pessoas me perguntam sobre mim mesma. Quer dizer, se eu não sei quem sou, como é que outra pessoa deveria saber?” Página 39

Sinceramente eu não sei como me sinto sobre esse livro, ele é tocante, surpreende e mais ainda o final dele te tira do chão pois é fora dos padrões, assim como o personagem aprende, os leitores também e achei isso genial, a autora nos mostra como a amizade e família são importantes, ela fala sobre a forma de lidar com a perda. E sobre Grace, Henry só sabe que apesar de sua personalidade bipolar ele quer desvendar cada parte secreta de sua alma, porém muitas vezes mesmo com a verdade, só enxergamos o que queremos.

”…pensando em Grace Town e em como, se as pessoas realmente eram formadas de pedaços do universo, sua alma era feita de poeira de estrelas e caos.” Página 101

Cada personagem desse livro me cativou, e suas referências a Harry Potter foram me conquistando a cada página. Mas finalizando essa é uma obra que qualquer pessoa que gostou de alguma leitura uma vez na vida deveria ler, esse livro é sensacional. LEIAM ESSE LIVRO!

”Grace Town se tornara o fantasma que ela queria ser, e a ausência dela – a ferida de ranhura que ela deixou para trás quando se arrancou da minha vida – me fez recuperar o fôlego.” Página 206

 



”Rascunho Seis:

Porque você vale nada menos do que poeira de estrelas, mas tudo o que posso dar a você é sujeira.” Página 193

Resenha: Confissões do Crematório 

Venham todos ser engolidos pelas chamas do crematório

”Podemos nos esforçar para jogar a morte para escanteio, guardando cadáveres atrás de portas de aço inoxidável e enfiando os doentes e moribundos em quartos de hospital. Escondemos a morte com tanta habilidade que quase daria para acreditar que somos a primeira geração de imortais.” Nota da autora

Confissões do Crematório é um livro sobre experiências de alguém que é fascinado pela morte, Caitlin Daughty, que desde criança teve uma atração pela morte, quando pequena isso foi mostrado como medo, ao crescer como admiração e aos poucos acolheu como uma amiga, Cat conseguiu emprego como operadora de crematório na Westwind Cremation & Burial em San Francisco, após um ano em San Francisco ela vai atrás de seu licenciamento de agente funerária. Cat em sua obra mostra detalhadamente os bastidores de um crematório, detalhes do que acontece com um corpo quando ele é entregue a funerária, como ele é preparado para que possamos nos despedir, as opções que temos para escolher para os que partiram, ela expõe a realidade e precisamos enfrenta-lá, como é dito esse livro é para quem planeja morrer um dia.

”Como humano adulto, seu pó é igual ao meu, entre dois e três quilos de cinzas e ossos.” Pagina 144

Em certos momentos vi como se fosse um diário de uma profissão como outra que vemos todos os dias, muitos ainda tem certo receio sobre os detalhes mas são apenas detalhes, no livro também temos alguns fatos sobre a história da cremação e funerais, o que achei bem interessante, e mostra também como a profissão surgiu para o que ela é hoje, do preconceito ate certa aceitação. Achei a obra sensacional e vi muita evolução da menina que começou quase sem nenhuma experiência para a que finalizou o livro, me identifiquei bastante com a personagem e vi muitas doses de humor no livro.

”O silêncio da morte, do cemitério, não era uma punição, mas uma recompensa por uma vida bem vivida.” Página 242

 ”O hospital se apresentava como um lugar positivo de cura com tecnologia recente e atraentes gravuras de arte havaiana nas paredes. Tudo – a maca falsa, o necrotério secreto no porão – era cuidadosamente preparado para esconder a morte, para distanciá-la do público. A morte representava uma falha do sistema médico; não seria permitido perturbar os pacientes e suas famílias.” Página 59

Resenha: Último Turno

“Brady Hartsfield gostava de suicídio. Era seu hobby.” Página 109

No terceiro, e último livro da trilogia Bill Hodges, nosso assassino do Mercedes está de volta e de um jeito diferente e até sobrenatural, após tentar explodir centenas de adolescentes e sofrer um trauma entrando em estado vegetativo, Brady encontra uma maneira de retornar e continuar sua missão de uma forma que ninguém, nem nosso detetive aposentado favorito imaginava. Bill Hodges está aposentado mas isso não significa desativado, Bill juntamente com Holly ao serem chamados para uma cena de crime que supostamente é apenas um suicídio mal podem imaginar o que estar por vir, será mesmo que Brady está de volta?

“Todo ser humano nasce com o gene do suicídio. Na maioria de nós, ele permanece adormecido.” Página 227

Bom, comprei o livro assim que ele foi lançado porém só iniciei a leitura agora pois não queria ver um final para essa trilogia que eu amei tanto, mas apesar disso o final superou minhas expectativas, quando vi que algo sobrenatural de certa forma iria ser inserido na obra fiquei com receio, mas tal receio foi a toa pois essa inserção na obra ficou espetacular. O livro teve muitas reviravoltas e sim o final pra mim foi surpreendente, Último Turno é o tipo de livro que não se larga até conseguir acabar, o final não é super maravilhoso recheado de rosas mas finaliza toda as questões, todos os personagens tem seus finais, essa sem dúvida é uma trilogia que todos deviam ler. Principalmente antes de adaptarem para série no ano que vem. To muito feliz com essa notícia pois desde que li Mr Mercedes pensei em como seria genial uma série sobre Bill Hodges.

“O último turno, Jerome pensa. Ele odeia como soa, mas está certo. Está certo.” Página 334

O livro aborda diretamente também o tema suicídio, como ajudar de maneira indireta(números e dados) e etc.

“Marty dizia que ficar sozinha depois que alguém que você ama falece era o pior tipo de paralisia.” Página 47

Primeiro livro: Mr Mercedes
Segundo livro: Achados e Perdidos

Tempestades


Algumas vezes vi a vida como uma tempestade, e me sentia como um barco em mar aberto pegando cada fúria daquela tal tempestade, mas lembrei que ouvia por ai que você pode escolher o que pode ou não te derrubar, e nessas vezes mesmo em meio a tempestade, eu não me permitia afundar completamente.

Sabe, que jogue a primeira pedra quem não viu um chuvisco virar uma chuva com ventos fortes, e após isso uma tempestade sem fim, que jogue a primeira pedra aquele que não via fim naquela tempestade, e mais ainda, não joguem pedras, joguem guarda chuvas.

Algumas chuvas fortes se tornam tempestades, destroem, causam danos que por momentos parecem irreparáveis, mas outras se tornam chuviscos, por isso procure sempre o sol em algum lugar. Não permita deixar a tempestade enxer um oceano sem fim, sem sol, sem algo para se agarrar, se agarre.

A vida tem essas de te jogar por ai, pode ser em um mar, ou no deserto, mas o único objetivo disso é não afundar, não desistir.

Resenha: Serial Killers-Anatomia do Mal

“Um dia, antes de eu me matar, levarei algumas pessoas comigo.”  -Sylvia Seegrist, assassina em massa
Página 19

“Tecnicamente, psicopatas não são legalmente insanos. Eles sabem a diferença entre o certo e o errado. São pessoas racionais, muitas vezes altamente inteligentes. Alguns conseguem ser bastante charmosos. Na verdade, o que mais assusta neles é o fato de parecerem tão normais.” Página 27

Antes de tudo essa é um obra para o público +18

O autor traz casos reais sobre assassinos reais, com diversos transtornos psicológicos, o livro é escrito por Harold Schechter que a mais de três décadas tem estudado sobre o tema, aqui encontramos o dossiê mais completo sobre os psicopatas mais perversos. O autor abre a porta sobre o que se passa nas mentes mais cruéis que podemos imaginar, fantasias, fetiches, até mesmo o possível ‘motivo’ para que tais atrocidades fossem realizadas.

O livro conta com nove capítulos, e questões que surgem durante a leitura de um página tenha certeza que essa dúvida é respondida na página seguinte, não se trata apenas de casos mas também de detalhes diretamente do mundo da psicologia, esse livro é diferente para fazer a resenha, não é uma ficção ou uma história somente, o livro é um estudo de dezenas e dezenas de casos e pessoas, por isso devo dizer que essa é a resenha mais difícil que fiz. Serial Killers do mundo todo são abordados mas o autor foca principalmente no território dos EUA, a escrita é bem cuidadosa, porém esse não é um livro que você consegue facilmente ler em uma tarde, porém toda a escrita é colocada para que mesmo um leigo no assunto compreenda todos os detalhes dos casos e das ‘explicações’.
Anatomia do Mal contém também imagens dos assassinos, dos casos, e algumas representações, a edição é pela darkside que deixou a obra mais extraordinária ainda.

“Convidando o rapaz para descer ao seu porão, Sappington rapidamente o despachou com um tiro de espingarda. Em seguida, bebeu calmamente seu sangue e canibalizou o corpo. Colocou, então, os restos em um saco de lixo e saiu para um passeio a um de fazer digestão.” Página 225

“As três motivações mais comuns de estupradores e assassinos em série são dominação, manipulação e controle.” Página 111

“Gosto muito de mulheres, mas meu esporte favorito é estrangulá-las depois de tê-las saboreado.” -Estrangulador compulsivo citado por Krafft-Ebing

Página 311